Dual Extraction Device

O que é, como funciona, vantagens.
clinica madrid insparya hair company
Insparya Dual Extraction Device

Transplante capilar com tecnologia exclusiva

O transplante capilar é um procedimento clínico minucioso, que exige especialização e eficiência por parte das equipas médicas e de enfermagem intervenientes, sendo o tratamento mais eficaz contra a alopécia. Neste sentido, salientamos que a Insparya utiliza a tecnologia mais avançada e investe em programas de formação e treino contínuos, apostando na investigação, aliada aos mais prestigiados centros nas áreas científica e tecnológica, para oferecermos o melhor aos nossos pacientes.

tecnologia propia insparya

A Insparya possui tecnologia avançada, exclusiva, desenvolvida internamente, que revolucionou o transplante capilar.

Graças a sistemas e ajustes personalizáveis, este equipamento consegue uma precisão e rapidez únicas na excisão das unidades foliculares de maior qualidade para o transplante.

="timeline-item"

Como funciona o Insparya Dual Extraction Device?

Esta técnica permite uma extração mais ampla, mais rápida e mais precisa das unidades foliculares, associada a uma menor lesão do tecido cutâneo na zona de extração.

Consiste num procedimento minimamente invasivo, com recurso a anestesia local, o que permite ao paciente regressar às suas atividades quotidianas em poucos dias.

São garantidos resultados definitivos e um cabelo de aspeto natural e uniforme, sem cicatrizes lineares, frequentemente visíveis nas técnicas de transplante capilar tradicionais.

="timeline-item"

Vantagens do Insparya Dual Extraction Device

Eficácia. O cabelo da zona transplantada tem um aspeto natural, cresce de forma regular e pode ser penteado e cortado sem limitações.

Precisão. Não existem diferenças visíveis entre a área transplantada e o resto do couro cabeludo. Os resultados são permanentes.

Conforto e segurança. O Insparya Dual Extraction Device não deixa cortes ou cicatrizes lineares. Graças à utilização de anestesia local, o procedimento é praticamente indolor.

Rapidez. O procedimento é realizado numa única sessão e a recuperação é rápida. O paciente regressa a casa no mesmo dia e pode retomar a sua vida normal em poucos dias.

Fiabilidade. Fatores como o cansaço e erro humano, com influência no sucesso de um procedimento manual, são enormemente minimizados graças à precisão e consistência desta técnica de extração das unidades foliculares.

background
Preencha o nosso formulário e receba um diagnóstico gratuito e sem compromisso.
ENTRAMOS EM CONTACTO CONSIGO!
[contact-form-7 404 "Not Found"]
IMPORTANTE SABER
  • DURAÇÃO DE UM TRANSPLANTE COM A TÉCNICA FUE-DUED
    Em média, 6 a 7 h.
  • PÓS-OPERATÓRIO
    Por norma, é simples. Durante o procedimento, é administrada anestesia local pela técnica de tumescência, em grande parte constituída por soro fisiológico, causadora de inchaço.

    Regra geral, este inchaço vai diminuindo até desaparecer por completo em 5 a 10 dias. A recuperação varia de acordo com o rigor com que as recomendações da equipa clínica – adaptadas a cada situação – são seguidas, bem como em função dos hábitos alimentares e de ingestão de líquidos de cada indivíduo.

  • COMPLICAÇÕES?
    A ocorrência de complicações é rara nos nossos pacientes. Uma das mais comuns é a foliculite, que pode ocorrer quando o paciente coça a área recetora, que é natural que manifeste ligeiro prurido (comichão) durante a cicatrização.

    Coçar com as unhas é desaconselhado por poder levar a inflamação ou infeção dos folículos. Outra complicação rara é o eflúvio telógeno, condição advinda do trauma do tratamento em si, imprevisível mas limitado ao período dos 4 meses seguintes ao procedimento, em que a maior parte do cabelo entra em fase de repouso e cai, voltando depois a crescer espontaneamente.

    Os quistos sebáceos são muito raros e têm solução cirúrgica simples e rápida.

    Outras complicações são raras re acontecer.

  • CUIDADOS PÓS-OPERATÓRIOS
    O cabelo não pode ser lavado nos 3 dias seguintes ao procedimento, apenas hidratado com soro fisiológico. A área transplantada deverá permanecer descoberta, evitando (embora este não seja proibido) o uso de lenços ou chapéus. Durante estes primeiros 3 dias, não deverá ocorrer exposição à luz solar direta. Não obstante, estes cuidados são sempre ajustados em função das condições de cada indivíduo.
  • O CABELO TRANSPLANTADO CAI?
    Se o estado geral de saúde do paciente não sofrer alterações desde a data do transplante, a queda do cabelo transplantado não é expectável. As causas mais frequentes da queda de cabelo transplantado são: terapia a tumores malignos, exposição prolongada a radiação, inalação diária de químicos industriais, doenças inflamatórias crónicas, queimaduras e cirurgias ao couro cabeludo.
background

Mais de 40.000 transplantes capilares avalizam a nossa experiência

A nossa missão é proporcionar ao paciente um serviço especializado e personalizado, com resultados definitivos.

Back to top of page